TagGames

A batalha saudável dos games

Os e-sports, uma espécie de competição em vídeo-games, transforma a diversão em seriedade

São Paulo, SP – Kaue sabe utilizar mais de 10 armas com uma precisão e velocidade típicas de um soldado de elite. Isso, só no videogame. Aos 26 anos de idade, ele dedica parte do tempo a um jogo de guerra chamado Call of Duty. Mas ele não está para brincadeira: Kaue Santana é organizador de campeonatos do game na internet.

Os chamados e-sports são uma tendência cada vez mais em alta no Brasil e no mundo, em que os games são tratados realmente como esportes. Os participantes treinam como atletas, podem ser patrocinados, e até competem por prêmios. A ideia também é, junto com essa competitividade, mostrar que a violência do jogo não sai – e nem deve sair –  para a vida real.

“Os jogadores têm a oportunidade de conhecer os jogadores online. Isso mostra que o mundo de carne e osso é bem diferente do online”, explica Gustavo Lima. Ele é um dos organizadores do Batalha dos Games com Internet fixa LIVE Tim, o maior evento desse tipo no Brasil, que acontece no próximo final de semana em São Paulo. Os jogadores competem durante o evento, mas muitos saem de lá com novas amizades e trocas de experiência.

Para o psicólogo e colaborador do Batalha, Luis Ayres Hochheimer, uma competição vai até além disso: “Campeonato é igual a desafio, que é igual a querer ser o melhor – não importando quais obstáculos que é preciso superar. A importância de mostrar aos companheiros e a si mesmo que está, ou não, apto para a battle, é uma questão de vida ou morte para alguns. Mostrar-se capaz ou incapaz a si próprio é uma necessidade moral e política”, explica.

Violência e games

O objetivo dos e-sports é estimular a competição, não a violência. E, nesse ponto, o Brasil ainda está atrasado. Os jogadores brasileiros, conhecidos como “hueiros” (pelo modo como riem, usando a expressão HUE), são famosos pela falta de educação nos games online, como DOTA e League of Legends.

“Esse é um dos motivos pelo qual o competitivo no Brasil ainda não é tão forte. A média de idade é de 15 anos, então sempre tem discussão entre clãs”, acredita Kaue. Os clãs são as equipes formadas pelos jogadores.

Para estimular o fair game (jogo honesto, em tradução livre), as próprias produtoras criam seus mecanismos e classificações indicativas. Por exemplo, a Riot Games, empresa responsável pelo League of Legends (conhecido pela sigla LoL), criou uma espécie de tribunal em que os próprios jogadores são os juízes.

Exatamente para isso que os campeonatos tentam “oficializar”, cada vez mais, os games como esportes. A ideia é simples: tratando assim, os gamers – sobretudo quando ainda crianças – passam a ver o jogo não apenas como uma diversão, mas também como treino e superação. “Então, eu vejo a competição de games como uma necessidade humana de transpor obstáculos e enfrentar consequências morais e pessoais. Uns vencem, outros perdem. É como a vida, e eles têm de lidar com isso”, acredita Luis.

Para o psicólogo, o modo como a criança interage com um jogo violento não deve passar pela proibição, mas sim pelo entendimento, com a orientação dos pais: “Cada casa tem a forma de pensar e resolver se a criança está apta ou não a jogar um game. A sociabilidade é que precisa ser vigiada, não o game por si só. A meu ver, é necessário uma convivência maior entre pais e filhos”, opina.

Apesar da polêmica em relação à violência, entre os jogadores existe um consenso: os jogos garantem muita diversão, ainda mais se houver competição.

Alguns dos jogadores chegam a ser patrocinados e até mesmo a treinar como atletas. FOTO: DIVULGAÇÃO

Alguns dos jogadores chegam a ser patrocinados e até mesmo a treinar como atletas.
FOTO: DIVULGAÇÃO

O que é?

– O Batalha dos Games com internet fixa LIVE Tim é o primeiro campeonato independe de games do Brasil criado exclusivamente para a diversão de todos. Você não precisa ser profissional para participar, basta ser bom em algum jogo e entrar para provar. As batalhas serão disputadas em 14 arenas (divididas entre Xbox 360 e Playstation 3), com diversos jogos, ao estilo eliminatória simples (mata-mata, copa ou morte súbita), separadamente durante os dois dias de evento.

O vencedor de cada campeonato levará o videogame disputado para casa e o segundo colocado levará o jogo original.

O melhor Cosplay de cada dia (masculino e feminino) levará um Xbox 360.

 

Onde?
- Espaço Apas

Rua Pio XI, 1200, Alto da Lapa

ñ 05060-000 São Paulo, Brazil

 

Quando?

24 e 25 de agosto de 2013

 

Contato

Assessoria de imprensa Grupo Player 2
imprensa@oplayer2.com.br

 

Website
http://www.batalhadosgames.com.br/

 

Battlefield 3 – Update de Junho

Galera, o Battlefield 3 é um dos melhores FPS[bb]que eu ja joguei e mesmo assim ele tem falhas como qualquer jogo. Mas o pessoal da DICE, está querendo muito fazer a nossa experiencia no jogo melhorar muito.

Em junho sairá uma mega atualização para o jogo, e vai trazer entre outros acertos o seguinte:

– Deixará de existir o exploit da M26;

– Muitas armas terão seus “coices” modificados para um melhor gameplay;

– Algumas Shotguns terão sua capacidade de munição aumentada;

Entre muitas outras…

Para ver o post com todas as atualizações acessem: Battlefield Blog.

Tudo que você sempre quis fazer com seu Wiimote mas sua religião não permitia

Chega um dia na vida em que você acorda, abre a janela do quarto e grita a plenos pulmões: “cara, como eu queria usar Wiimotes pra controlar um emulador do meu celular Android”!

Pois seus problemas acabaram; esse vídeo foi feito para você!

Abraços e até a próxima!

GOG.com (ou Como Fazer o Daurus Gastar o Salário em 22 minutos)

Boa noite, crianças! Venho hoje em missão de paz para levá-los, por alguns breves momentos, ao passado dos tão amados jogos eletrônicos. Se você tem mais de 20 anos e curte games, é provável que se lembre de nomes como BIG MAX, PC Expert e Senha PC. Pois bem, esses são os títulos de algumas das várias revistas que recheavam as bancas de jornal em nossa tenra infância, e que para muitos eram a única forma de se conseguir jogos originais fora do Natal, aniversário ou Dia das Crianças. Vendidas a preços razoáveis, essas revistas traziam versões completas de games, já à época, antiguinhos. Command & Conquer, Interstate 76, MDK, Torin’s Passage, Rollercoaster Tycoon, Age of Empires e muitos outros faziam a alegria da moçada que, depois da aula de inglês, jogava até fritar o Celeron 433, enquanto o pai assistia Ratinho na sala.

Revista BIGMAX

Pois bem, o novo milênio chegou, e os bons e velhos games deram lugar às novas e novíssimas plataformas. Comprar Duke Nukem 3D em 2002? Esqueça! Baixe de um site piratão outlaw from hellz, ou tire a sorte grande e compre-o de um sebo. Mas eis que surge uma tábua de salvação, eis que um Messias surge no horizonte. Numa bela tarde primaveril de 2008, um grupo de seletos senhores poloneses resolve dar a luz ao Good Old Games (GOG.com), serviço online de venda de jogos à la Steam, com duas premissas: vender jogos antigos, e vendê-los a preços acessíveis. Uma BIG MAX digital, mas muito mais legal, divertida e malemolente.

Grande parte do acervo está disponível por míseros US$ 5,99 (menos de R$ 10), e é muito difícil encontrar algum título que custe mais de US$ 9,99. Alguns games gratuitos também são oferecidos, como Tyrian 2000 e Dragonsphere – esse último, um adventure point-and-click que nada fica devendo aos velhos King’s Quest. O GOG.com também é um ótimo lugar para se encontrar os “melhores jogos que ninguém jogou”. Um que me chamou a atenção foi o XIII, FPS de 2003 produzido pela Ubisoft, que conta com gráficos em cell-shading.

A forma de pagamento mais fácil para nós brasilieros é o PayPal, ainda que requeira cartão de crédito internacional. E foi justamente a ilusão do crédito fácil que fez o nosso querido Daurus gastar seu salário em 22 minutos, comprando 70% do acervo do GOG.com. Fica a dica, senhores!

No money.

Alguns títulos disponíveis no GOG.com dignos de menção:

  • Duke Nukem 3D: Atomic Edition: FPS com um anti-herói machão, porcos vestindo uniforme de polícia e strippers. Caiu até uma lagriminha aqui.
  • Fallout 2: RPG de peso, passado num cenário apocalíptico. Denso, e muito, muito bom.
  • King’s Quest 4,5 e 6 (cara, o pacotão sai por US$ 5,99!!!): a série King’s Quest definiu muito do que conhecemos hoje como adventures point-and-click. Os 3 são clássicos.
  • Tex Murphy: The Pandora Directive: terminei esse adventure quando tinha 11 anos. Grande parte de minha personalidade foi definida por Tex Murphy. E acabei de saber por um post no fórum do GOG que estão fazendo um novo jogo da série! Terminando esse post darei uma volta pelado pelo quarteirão postarei sobre o novo game no Twitter, como prometi que faria caso isso acontecesse.
  • Alone In The Dark 1, 2 e 3 (por R$ 5,99!!!): se você acha que survival horror começou com Resident Evil, é melhor você falecer. E os monstros de Alone in The Dark são bem mais engraçados.
  • Another World: cara, esse foi o primeiro game 3D que eu joguei na vida. Para Mega Drive, veja você! A versão pra PC não faz feio, e tem um monte de presentinhos.
  • Commandos: um salve pros manos fãs de Inglorious Basterds. Jogaço ambientado na Segunda Guerra Mundial.

É isso, companheiros. E você, já comprou alguma coisa no GOG.com? Sentiu falta de algum game? Quer me dar algum de presente? Comente; nosso sistema de comentários é eco-friendly!

Abraços, e até a próxima!

Ode aos Tutoriais

Leitor querido,

Antes de mais nada, permita que eu me apresente. Será rápido e indolor, como a extração de um dente do ciso. Meu nome é Porcho, e implorei fui convidado pelos ilustres fundadores deste blog para postar sobre tecnologia. Em meu post inicial já trairei o tema – ao menos, adicionarei um tema a mais, uma vez que pretendo fazer uma ode aos tutoriais nos games.

Clipe do Microsoft Word

"I'm a cliiiipe, I'm a weirdooo..."

Ahhh, os tutoriais. Você os conhece, muito provavelmente, e pode até gostar deles. Quem não achava simpático  o clipezinho do Word, divindade tutorialística de nossa tenra infância? E como esquecer dos tutoriais nos games?

 

Os tutoriais com certeza ajudaram você em Half-Life. E como seria sua vida, leitor amigo, não fossem os tutoriais que o ensinaram a construir coisas em Sim City? Não fosse por eles, por certo iria desistir com 15 minutos de jogo, e  dedicar-se integralmente a seu cônjuge, à filatelia ou à pornografia. Mas não. Você persistiu, e cá estamos nós tomando esse delicioso café, nesse puff gigante e aconchegante.

Mas permita-me lembrá-lo de quem nem sempre você precisou dos tutoriais. Houve uma época em que os jogos, simples ou complexos, no PC ou nos consoles, te recepcionavam com um caloroso “te vira, negão”. Era você, o Mario ou o Snake ou o maluco do Doom, o ESC (para ver o key map) e Jesus. Simples assim. Ou você se lembra de alugar uma fita de SNES na sexta, passar o sábado fazendo o tutorial e jogando só no domingo? Hein? HEIN?!?!

Sonic 2: TUTORIAL KD?!

PRESS (C) TO JUMP, DOWN TO DUCK. OR NOT.

Tutoriais dão a aparência de complexo a algo que não é, ou que não deveria ser, se fosse bem feito. Tutoriais fazem você perder tempo de jogo. Tutoriais emprestam uma aura de divindade aos jogos, afastando-os do principal motivo pelo qual existem: diversão. A melhor coisa da vida não precisa de tutorial: ou você precisou de tutorial na primeira vez que foi ao banheiro depois de passar 3 horas apertado? E a segunda melhor coisa da vida também não precisa.

 

Por último, acho de verdade que os tutoriais contribuem para a cara séria que a maioria dos jogos de sucesso tem hoje em dia. Tomemos os 5 jogos mais vendidos no Steam como exemplo. No cardápio de hoje, temos:

  • Warhammer 40,000: Dawn of War II: Retribution
  • Dragon Age II
  • RIFT
  • Portal 2
  • Crysis 2

A única exceção à regra é Portal 2 (que com certeza tem um tutorial, ainda quem bem-humorado): de resto, temos jogos sérios, com uma história protagonizada por um anti-herói carrancudo, vivendo grandes aventuras e altas confusões numa terra desolada pela fome, guerra ou pelo Restart. E os tutoriais sempre estão lá, confirmando que jogá-los requer um aprendizado, uma transformação. A intuição do jogador não é suficiente, WASD não bastam, as setinhas do teclado e o mouse não são por si suficientes.

“Tá, e o que você propõe no lugar dos tutoriais?”. Treinamento no próprio jogo, aos moldes do que é feito no World of Goo. Nesse puzzle fofíssimo, você aprende a jogar…jogando. Mas não aquelas fases bestas de tutorial; fases de verdade, que fazem sentido e não destoam das outras. “Ahhh, mas World of Goo é um puzzle!”. Sim, mas Sim City e Assassin’s Creed seguem a mesma linha, e são consideravelmente mais complexos.

Espero que as plataformas que sustentam a ideia de  interações mais naturais, como o veterno Wii e o Kinect, consigam encontrar soluções mais inteligentes do que os tutorias para auxiliar jogadores na essencial tarefa de imersão. E espero que quem usa e abusa de tutoriais nos jogos de PC passe a utilizá-los com parcimônia. Amém!

Você concorda comigo e quer me mandar um presente? Você discorda de mim, e acha que eu deveria ser julgado em um tribunal militar por esse post? Seu pai trabalha em uma desenvolvedora de games fazendo tutoriais , e você se sentiu ofendido? Comenta aí que a gente resolvemos! Mas já adianto que os tutoriais que seu pai faz são legais; eu estava falando dos outros tutoriais!

Beijos no mindinho, e até a próxima!

Diablo 3–Demon Hunter

Acho que todos deveriam saber que eu simplesmente adoro o jogo Diablo. Seja o Diablo 1 ou o 2, o jogo é otimo.

Agora estamos a beira de sair o terceiro jogo da franquia e eu estou ficando cada vez com mais agua na boca!

Deliciem-se nerds.

Os 5 melhores games antigos

Esta é uma lista MUITO tendenciosa, pois são os games na MINHA opinião.

Não é porque sou chato ou porque não tem outros jogos. Concordo que existem jogos MUITO melhores, mas esses são os que marcaram a minha infancia. Com a menção a “Golden Axe” que eu só jogava na locadora, pois nunca tive um mega.

A lista não está por ordem de gosto, mas enumerei apenas para facilitar.

Espero que gostem!

1 – Alex Kid in Miracle World

al2 al1

2 – Golden Axe

goldenaxe goldenaxe1

3 – Enduro

24-04-07_1537 5enduro

4 – River Raid

riv1 riv2

5 – FrostBite

ice_jumper

Feliz dia das Crianças

 

2009_02_27wiiold

 

Afinal, não há idade para ser feliz… Desejo à todos a infância eterna!

 

V.L.P

Game Hit justin Bieber

Bom dia, galera,

Estava na internet quando me deparei com um jogo que me chamou a atenção.
Entrei para dar uma olhada e é bem engraçado. É o Hit Justin Bieber!!! Você tem que acertar ele enquanto ele canta. Eu fiz 400 pontos, hehe.

Link: [Hit Justin Bieber]

Boa sorte!!!

Wii FAIL

© 2014 4 Nerds

Theme by Anders NorenUp ↑