Tagtecnologia

A tecnologia é um vicio?

Já tenho ouvido falar faz algum tempo, das novas doenças que estão chegando com a multiplicação da Tecnologia. Não tenho duvidas que com a propagação da tecnologia novas patologias seja mcriadas, mas eu sinceramente acredito que hoje não conseguimos definir o que existe como uma doença.

Vou me explicar, a tecnologia veio para trazer facilidade as nossas vidas e não acabar com elas. Infelizmente as pessoas mais uma vez provam que aquilo que era pra ajudar, acaba atrapalhando. Mas como assim “mais uma vez”?

Veja bem, desde o inicio da historia humana, todas as ferramentas criadas para auxiliar o trabalho humano, foram utilizadas para fins de “auto-destruição”, vamos tomar alguns exemplos:

- Acho que o primeiro exemplo são as ferramentas como picaretas, machados, etc., que não foram usadas apenas para auxilio das tarefas, mas em brigas tribais;

- Outro bom exemplo é o da energia nuclear, que mesmo em estado experimental na década de 40, foi utilizada para simplesmente dizimar regiões de um país.

Temos centenas de outros exemplos de como a tecnologia foi executada de maneira totalmente deturpada da maneira que ela normalmente foi projetada. Sendo assim, eu sinceramente acredito que as “novas doenças”, provindas da tecnologia não sejam culpa da tecnologia em si, mas sim da fragilidade em que a mente humana se encontra normalmente. Vou dar um exemplo de um absurdo que não é por culpa da tecnologia, mas sim dos seres humanos que não estão preocupados em COMO usar essa tecnologia corretamente. Vejam:

 

Espero que tenham gostado, e comentem com suas opiniões.

Outlook – Compromissos, reuniões e eventos

Compromissos

Compromissos são atividades que você agenda no seu calendário e que não envolvem convites a outras pessoas nem reserva de recursos. Você pode definir lembretes para os compromissos. Também pode especificar o modo como os outros usuários verão seu calendário designando o tempo de duração de um compromisso como ocupado (ocupado: blocos de tempo marcados como ocupados aparecem com um indicador de disponibilidade sólido e são mostrados como não disponíveis quando outras pessoas estão vendo seu Calendário.), disponível (disponível: o horário disponível aparece com um indicador claro de disponibilidade e é visto como disponível quando outras pessoas exibem seu Calendário. Um compromisso de duração zero, visível no bloco de tempo selecionado na exibição de dias, aparece como horário disponível para outras pessoas.), provisório (provisório: blocos de tempo marcados como provisórios aparecem com um indicador de disponibilidade listrado e são mostrados como disponíveis quando outra pessoa vê o seu Calendário.) ou ausência temporária (ausência temporária: blocos de tempo marcados como ausentes aparecem com um indicador de disponibilidade sólido e um plano de fundo de compromisso sombreado, e são mostrados como não disponíveis quando outras pessoas vejam seu Calendário.). É possível agendar os compromissos recorrentes (recorrente: itens que ocorrem repetidamente. Por exemplo, um compromisso ou tarefa que ocorre regularmente, como uma reunião semanal de status ou um corte de cabelo mensal, podem ser designados como recorrentes.). Seus compromissos podem ser exibidos por dia, semana ou mês.

Você pode agendar um compromisso no seu próprio calendário e, por meio de permissão concedida, agendar ou fazer alterações nos calendários de outros usuários. Os compromissos também podem ser particulares (particular: outras pessoas não podem ver um item marcado como particular, mesmo que tenham permissão para acessar suas pastas.).

Reuniões

Uma reunião é um compromisso para o qual você convida pessoas ou reserva recursos. Você pode criar e enviar solicitações de reunião e reservar recursos (recurso: uma sala, um computador ou qualquer equipamento necessário em uma reunião. É possível consultar a disponibilidade de um recurso, comparar a agenda dele com a sua e bloquear horários em seu Calendário. Você solicita recursos para suas reuniões da mesma forma que convida pessoas.) para reuniões convencionais ou para reuniões online. Ao criar uma reunião, você identifica as pessoas a serem convidadas e os recursos a serem reservados e escolhe um horário. As respostas à sua solicitação de reunião são exibidas na Caixa de Entrada. Você ainda pode adicionar pessoas a uma reunião existente ou reagendar uma reunião.

Eventos

Um evento é uma atividade que dura 24 horas ou mais. Como exemplos de eventos podem ser incluídas as feiras, as Olimpíadas, férias ou um seminário. Em geral, um evento ocorre uma vez e pode durar um dia ou mais, mas um evento anual, como um aniversário ou uma data especial, ocorre anualmente em uma data específica. Os eventos e os eventos anuais não ocupam blocos de horários no calendário; em vez disso, ele são exibidos em faixas (faixa: nome de evento ou feriado que aparece na parte superior das datas especificadas no Calendário. Uma faixa pode abranger várias células. Os itens de faixas são marcados como horários disponíveis e são representados pela cor branca quando você exibe seu Calendário.). Um compromisso de um dia inteiro exibe o horário como ocupado (ocupado: blocos de tempo marcados como ocupados aparecem com um indicador de disponibilidade sólido e são mostrados como não disponíveis quando outras pessoas estão vendo seu Calendário.) quando visualizado por outras pessoas, enquanto um evento ou um evento anual exibe o horário como disponível (disponível: o horário disponível aparece com um indicador claro de disponibilidade e é visto como disponível quando outras pessoas exibem seu Calendário. Um compromisso de duração zero, visível no bloco de tempo selecionado na exibição de dias, aparece como horário disponível para outras pessoas.).

Tudo que você sempre quis fazer com seu Wiimote mas sua religião não permitia

Chega um dia na vida em que você acorda, abre a janela do quarto e grita a plenos pulmões: “cara, como eu queria usar Wiimotes pra controlar um emulador do meu celular Android”!

Pois seus problemas acabaram; esse vídeo foi feito para você!

Abraços e até a próxima!

Polícia investiga ameaça de morte a 10 produtos do Google

Logotipo do Google na China

A polícia apura desde o dia de ontem, após uma denúncia anônima, ameaças de morte feitas a 10 produtos do Google. Todos os produtos serão colocados sob o SPPII (Serviço de Proteção aos Produtos Inúteis da Internet), mas fontes próxima afirmam que os mesmos deverão ser mortos apesar de todo o aparato policial. Segue a lista completa dos produtos ameaçados:

  • Aardvark;
  • Desktop;
  • Fast Flip;
  • Google Maps API for Flash;
  • Google Pack;
  • Google Web Security;
  • Image Labeler;
  • Notebook;
  • Sidewiki;
  • Subscribed Links.

De todos eles, só me lembro de ter usado o Image Labeler (que é bem divertido, por sinal) e o Google Notebook. Esse último vai deixar saudades: a extensão do Firefox era excelente, tornando o serviço um substituto à altura dos velhos Post-Its. Mas, como dizem os blogueiros que não sabem como terminar posts, é a vida, não é mesmo?

 

A Gênese da Web

“Em 6 de agosto de 1991, ele [Tim Berners-Lee] postou um resumo no grupo de notícias alt.hypertext. Essa data marca a estreia da Web como um serviço publicado na Internet.” – Wikipedia sobre World Wide Web

No princípio, o Homem criou as home pages. E viu que era bom, mesmo com todos aqueles GIFs animados de caveiras pegando fogo e personagens da Disney. Então o Homem percebeu que estava sozinho, e criou o mIRC. E achou que seria uma boa ideia poder receber e enviar os GIFs de caveira para alguém do outro lado do mundo, e receber do outro lado do mundo GIFs com a placa de Homens Trabalhando. E viu que isso também era bom.

O Homem viu que era bom saber quando seus amigos estavam online, e apesar de o mIRC já oferecer essa funcionalidade, não trazia barulhinhos engraçados nem emoticons. O Homem criou o ICQ. E viu que era bom, ainda que demorasse 5 minutos para abrir em seu Pentium 200 MHz MMX. E depois criou o MSN, que não era bom.
Pasta dental ICQ

O Homem então disse: “quero conhecer garotas que gostam de mostrar fotos das quais se arrependerão depois”. O Homem então criou o Orkut e, minutos depois, o Facebook. Não havia diferença nenhuma entre um e outro, mas o Homem jurava que o segundo era melhor.

O Homem então, preguiçoso que era, pensou consigo: “140 caracteres são mais que suficientes #fato”. E então criou o Twitter.

Apesar de todos os GIFs animados, vídeos com gatinhos, convites para o FarmVille e mensagens com hashtags, o Homem ainda estava infeliz. E então aconteceu. O Homem teve uma ideia melhor do que todas as outras juntas. Uma ideia que funcionaria mesmo com uma conexão discada a 14.4 kbps num dia chuvoso, e que não tinha nada a ver com uma Colheita Feliz.

E justo quando o Homem encontrou um angel investor que se interessou pela ideia veio 2012, e com ele o tweet que anunciava: “It’s the end of the world as we know it. #partiu”. E todos se regozijaram.

Raio da Morte

Muitas pessoas (especialmente meninos) já colaram fogo em algo apenas para ver queimar. A piromania às vezes reflete apenas curiosidade em mentes relativamente desocupadas. mas alguns vão mais além,como o americano Eric Jacquaim, de 14 anos, que colou 5.800 mini-espelhos em uma antena parabólica.

Estes espelhos convergem a radiação solar em um único ponto, gerando calor suficiente para queimar até objetos metálicos. O igaroto afirma que o invento amplia a luminosidade do sol em 5.000 vezes.

Cheque o vídeo para mais detalhes:

Enlarge your…musical knowledge!

Dá pra baixar música de qualidade, legalmente e de graça? Se você respondeu que não, é porque não conhece o Jamendo. Trata-se de um serviço de download de músicas lançadas sob a licença Creative Commons, a GPL de tudo que não é software.

 

Logotipo do Jamendo

 

 

 

 

Músicos alternativos utilizam a plataforma para divulgar seus trabalhos, em sua maioria álbuns completos. Lá você encontra de tudo: desde o pop-rock americano mais arroz com feijão, passando pelo heavy-metal alemão, até folk japonês ou música instrumental com influências clássicas. E o que esses músicos pedem em troca? Nada. Ouça e seja feliz; doe uma graninha se tiver algum sobrando. E vá ao show do artista se puder.

É tanta variedade, tanta quantidade, que não é difícil se perder. Nesses momentos de dúvida e incerteza, nos quais o mundo parece escorar-se em você e tudo perde o brilho, o Top 100 é seu amigo. Esse feliz recurso traz (surpresa!) a lista dos cem álbuns mais baixados da semana, junto com comentários de pessoas como eu e você avaliando a obra. Alguns úteis e outros nem tanto, mas pelo menos não li nenhum “comofas pra olvir” até agora.

O acervo do Jamendo pode ser acessado pelo site, pelo aplicativo para Android e provavelmente por mais uma dúzia de meios que eu desconheço e a velocidade nojenta do 3G não me permite conhecer. Mas entra no site, tá tudo bem explicadinho lá.

Antes de ir, deixo uma recomendação: Kendra Springer e seu álbum Hope. Pianista excelente, pra quem com certeza mandarei um panettone no Natal, ou dinheiro via PayPal que o valha.

Abraços, e até a próxima!

Dropbox: uma ótima ideia!

Já dizia o poeta: algumas ideias são ruins, outras são boas e outras são fantásticas. Expor todas as suas compras no cartão de crédito a quem quiser ver: ruim. Lavar a cueca no banho: boa. Armazenar arquivos na nuvem de modo simplificado, podendo compartilhá-los e acessá-los de diversos dispositvos e sistemas operacionais de modo transparente: ótima! E para ajudá-lo a realizar essa última ideia é que surgiu o Dropbox, serviço de file hosting cloud-based with lasers oferecido desde 2007 pela empresa de mesmo nome.


Falo realmente sério quando digo que é possível acessar os arquivos armazenados de forma totalmente transparente, como se estivessem armazenados no disco local. Pelo menos no cliente para Ubuntu 32-bit, basta arrastar o arquivo para a pasta configurada na instalação do Dropbox e voilà: o serviço se encarrega de sincronizar o diretório com o servidor remoto, e apresentá-lo como um simples diretório local em todos os computadores no qual exista o Dropbox instalado e vinculado à sua conta. Se por algum motivo a conexão cair no meio da sincronização, não tem problema: o processo é retomado tão logo sua conexão volte do limbo. Além do citado cliente para Ubuntu, existem clientes disponíveis para Windows, Mac OS X, iOS, Android e até mesmo um simpático cliente web.

Compartilhar diretórios no Dropbox é revoltantemente simples, também. Basta clicar com o botão direito no item desejado e selecionar Dropbox -> Share This Folder. Uma página será aberta, então, para que você digite o e-mail das pessoas com quem deseja compartilhar. Toda conta traz também um diretório Public, que como o nome sugere armazena arquivos públicos: qualquer um que possua o link para um arquivo armazenado nesse diretório pode acessá-lo. O link pode ser obtido clicando com o botão direito em cima de um arquivo em Public e selecionando Dropbox -> Copy Public Link.

O Dropbox te dá 2 GB de cara, o que não é lá muito, e você pode aumentar essa capacidade de duas maneiras. A primeira é pagando mensalmente ou anualmente por mais espaço – existem planos de 50 GB ou 100 GB. A segunda é indicando o serviço a amigos: são adicionados 250 MB à sua conta para cada um que se cadastra por indicação sua, até um limite de 8 GB.

Teste o serviço e me diga se é ou não é uma ótima ideia?

Abraços, e até a próxima!

Wii U, e esqueceram da sua vó de novo!

A menos que você viva numa caverna é muito provável que já tenha ouvido falar do Wii U, novo console que a Nintendo apresentou na E3 como sucessor do Wii, videogame com já quase 5 anos completos.  Não irei aqui apresentar as especificações do aparelho, nem tão pouco a lista de jogos confirmados ou reclamar de quão caro o console será vendido aqui, comparado com o que os japoneses ou estadunidenses pagarão. Uma rápida pesquisa no Google irá trazer tudo isso. Apenas deixarei um vídeo da própria Nintendo sobre o Wii U, e proponho que façamos algo diferente.

Pois bem. Convido vocês a fazerem, comigo, um exercício de “pensação”: acho que o pessoal da Nintendo esqueceu da minha vó. E da minha irmã, da minha mãe, do meu priminho de 2 anos. “Por que?”, você pergunta, e eu respondo: a graça principal do Wii U é um controle à la iPad, complicado só de olhar. Eu e você acharemos o máximo, por certo; algumas partes do vídeo acima chegam a emocionar os jogadores mais experientes. Mas e a turma de jogadores casuais e não-jogadores, queridinhos da Nintendo quando do lançamento do Wii e grande trunfo da  empresa frente à concorrência, foram esquecidos?

Sei bem que o Wii Mote será compatível com o novo console. É certo, porém, que não ganhará a atenção das grandes produtoras, que desejosas estarão de utilizar os recursos próprios da nova plataforma. Assim como nós, gamers. E sua vó, como irá se virar?

Vejo duas estratégias radicalmente diferentes, e é muito interessante observá-las sob o ponto de vista do consumidor: a Microsoft, com o Kinect, tenta se aproximar do público que não cresceu dentro de uma cultura gamer, enquanto a Nintendo tenta ganhar novamente o público que abandonou a companhia quando percebeu que Wii Sports Resort era muito mais a cara do Wii do que Call of Duty.

Estariam as mentes da Nintendo insanas? O novo controle matará o querido Wii Mote, relegado aos poucos à mesma categoria do óculos 3D do Master System ou da bazuca do Mega Drive? Quem encherá mais o bolso com a nossa grana, nessa história? Só o tempo dirá.

Enquanto isso, vou ver aqui quem da minha lista irá para os EUA no ano que vem. Quem sabe alguém não me traz um Wii U antes que o mundo acabe?

GOG.com (ou Como Fazer o Daurus Gastar o Salário em 22 minutos)

Boa noite, crianças! Venho hoje em missão de paz para levá-los, por alguns breves momentos, ao passado dos tão amados jogos eletrônicos. Se você tem mais de 20 anos e curte games, é provável que se lembre de nomes como BIG MAX, PC Expert e Senha PC. Pois bem, esses são os títulos de algumas das várias revistas que recheavam as bancas de jornal em nossa tenra infância, e que para muitos eram a única forma de se conseguir jogos originais fora do Natal, aniversário ou Dia das Crianças. Vendidas a preços razoáveis, essas revistas traziam versões completas de games, já à época, antiguinhos. Command & Conquer, Interstate 76, MDK, Torin’s Passage, Rollercoaster Tycoon, Age of Empires e muitos outros faziam a alegria da moçada que, depois da aula de inglês, jogava até fritar o Celeron 433, enquanto o pai assistia Ratinho na sala.

Revista BIGMAX

Pois bem, o novo milênio chegou, e os bons e velhos games deram lugar às novas e novíssimas plataformas. Comprar Duke Nukem 3D em 2002? Esqueça! Baixe de um site piratão outlaw from hellz, ou tire a sorte grande e compre-o de um sebo. Mas eis que surge uma tábua de salvação, eis que um Messias surge no horizonte. Numa bela tarde primaveril de 2008, um grupo de seletos senhores poloneses resolve dar a luz ao Good Old Games (GOG.com), serviço online de venda de jogos à la Steam, com duas premissas: vender jogos antigos, e vendê-los a preços acessíveis. Uma BIG MAX digital, mas muito mais legal, divertida e malemolente.

Grande parte do acervo está disponível por míseros US$ 5,99 (menos de R$ 10), e é muito difícil encontrar algum título que custe mais de US$ 9,99. Alguns games gratuitos também são oferecidos, como Tyrian 2000 e Dragonsphere – esse último, um adventure point-and-click que nada fica devendo aos velhos King’s Quest. O GOG.com também é um ótimo lugar para se encontrar os “melhores jogos que ninguém jogou”. Um que me chamou a atenção foi o XIII, FPS de 2003 produzido pela Ubisoft, que conta com gráficos em cell-shading.

A forma de pagamento mais fácil para nós brasilieros é o PayPal, ainda que requeira cartão de crédito internacional. E foi justamente a ilusão do crédito fácil que fez o nosso querido Daurus gastar seu salário em 22 minutos, comprando 70% do acervo do GOG.com. Fica a dica, senhores!

No money.

Alguns títulos disponíveis no GOG.com dignos de menção:

  • Duke Nukem 3D: Atomic Edition: FPS com um anti-herói machão, porcos vestindo uniforme de polícia e strippers. Caiu até uma lagriminha aqui.
  • Fallout 2: RPG de peso, passado num cenário apocalíptico. Denso, e muito, muito bom.
  • King’s Quest 4,5 e 6 (cara, o pacotão sai por US$ 5,99!!!): a série King’s Quest definiu muito do que conhecemos hoje como adventures point-and-click. Os 3 são clássicos.
  • Tex Murphy: The Pandora Directive: terminei esse adventure quando tinha 11 anos. Grande parte de minha personalidade foi definida por Tex Murphy. E acabei de saber por um post no fórum do GOG que estão fazendo um novo jogo da série! Terminando esse post darei uma volta pelado pelo quarteirão postarei sobre o novo game no Twitter, como prometi que faria caso isso acontecesse.
  • Alone In The Dark 1, 2 e 3 (por R$ 5,99!!!): se você acha que survival horror começou com Resident Evil, é melhor você falecer. E os monstros de Alone in The Dark são bem mais engraçados.
  • Another World: cara, esse foi o primeiro game 3D que eu joguei na vida. Para Mega Drive, veja você! A versão pra PC não faz feio, e tem um monte de presentinhos.
  • Commandos: um salve pros manos fãs de Inglorious Basterds. Jogaço ambientado na Segunda Guerra Mundial.

É isso, companheiros. E você, já comprou alguma coisa no GOG.com? Sentiu falta de algum game? Quer me dar algum de presente? Comente; nosso sistema de comentários é eco-friendly!

Abraços, e até a próxima!

© 2014 4 Nerds

Theme by Anders NorenUp ↑